segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Quanto vale a amizade?



 A comemoração do mês dos afetos terminou com mais uma atividade promotora da leitura e com mais um pretexto para a reflexão sobre as relações interpessoais.
Os alunos da Educação Especial, acompanhados pela professora Fernanda Seabra, voltaram à BE-A, desta vez, para ouvirem a história “Quanto vale a amizade?”, da autoria de Maria Lúcia Carvalhas e refletirem sobre as coisas que o dinheiro não pode comprar.






Os alunos foram depois desafiados a irem às compras e adquirirem o que quisessem.
 Concluíram que podem comprar casas, carros, telemóveis, livros e tantas outras coisas do seu gosto, mas que há outras coisas que também gostariam de ter, mas que não estão à venda. Outro desafio se colocou : se queremos tanto um amigo e se não o podemos comprar com dinheiro, o que devemos fazer para o ter? Temos que os conquistar, foi a resposta e uma vez mais se concluiu que os afetos podem ser a principal “moeda de troca”.





Os alunos foram ainda questionados sobre uma coisa, ou pessoa de que gostassem muito e se, porventura, lhe oferecem dinheiro por elas se as vendiam? Todos foram unânimes no não.
A conclusão foi bem clara: A amizade não tem preço e os favores não se pagam, retribuem-se.
Os alunos, uma vez mais, participaram com muito empenho na atividade e souberam retirar ensinamentos de outras histórias já lidas, que recordaram prontamente. O Rui surpreendeu, não só se lembrava de todos os pormenores de uma das das histórias, como fez questão de ir buscar o livro à respetiva estante. 


Boa Rui, parabéns!

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

O Autor quis conhecer-te

 Na sequência da atividade, "O autor quis conhecer-te" integrada no PAA do PNL, a propósito da leitura da obra "Ulisses" a BE-A, em articulação com a docente de Português Clara Ligeiro, "levou" à sala de aula a autora da respetiva  obra em análise, Maria Alberta Meneres. Tendo como porta-voz a biblioteca escolar a autora falou da sua obra e da sua vida, dando a conhecer pormenores que pouca gente sabe.




Os alunos do 6º A assistiram com bastante interesse  a toda a atividade, participaram de forma ativa, satisfazendo a sua curiosidade, como se a autora estivesse efetivamente presente.
Tratou-se de  mais uma iniciativa promotora da leitura, motivando os alunos para o estudo da obra, com espírito crítico mais apurado e com  mais informações sobre a obra  em questão e sobre a conjuntura histórica que lhe serviu de inspiração.
E para que os leitores não se percam  nas páginas do livro e não encontrem facilmente o rumo certo da leitura, a BE-A  ofereceu a todos os alunos uma marcador de páginas, com uma breve síntese da obra.
Agora já não há desculpas, ninguém vai andar  à deriva na leitura.

Vamos ao teatro

 Integrado na análise do texto dramático e da leitura da obra "O Príncipe Nabo" da autoria de Ilse Losa, a BE-A  em articulação as docentes de Português Ana Lúcia Simões e Clara Ligeiro está a dinamizar uma atividade direcionada para os  alunos do 5º ano, intitulada " Fora de cena quem não é de cena, para cena quem é de cena" .

 A iniciativa tem como objetivo: motivar os alunos para o estudo do texto dramático,  abordar as características da representação teatral e  apresentar a vida e obra da escritora Ilse Losa, autora da obra em estudo.
A atividade iniciou-se no 5º C  e como base em estratégias pedagógicas diversificadas abordaram-se vários conteúdos: Diferenças entre texto narrativo e texto dramático,  passagem do texto dramático para a representação teatral, entre outros.







Viajou-se no tempo e descobriram-se as origens longínquas do teatro, parou-se na Antiguidade Clássica,  com destaque para o teatro grego,


 conheceram-se curiosidades sobre a História do Teatro, recordaram-se atores consagrados, dos palcos portugueses, visualizaram-se edifícios do teatro nacional e outros mais perto de nós... e ainda houve tempo para um "casting", para testar dotes de futuros atores.





No final, foi tempo de testar aprendizagens, como todos os alunos estiveram atentos  a tarefa foi superada sem dificuldade e por isso todos foram recompensados. 

O pano caiu, o espetáculo terminou e os alunos foram para o intervalo saborear o inevitável saquinho de pipocas, que todos ganharam pelo seu desempenho e participação ativa na atividade.

 

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

La Saint-Valentin: l’amour en toutes lettres



No âmbito da disciplina de francês, sob proposta e orientação das professoras Carla Antunes e Irene Fontinha, os alunos do 8º ano da EB 2/3 PMA elaboraram pequenos textos alusivos ao ‘Dia dos Namorados’, com os quais ilustraram e compuseram postais, nos dias 11 e 12 de fevereiro.

Os trabalhos encontram-se expostos na entrada principal da escola. 










Estafetas de leitura voltam à BE-A

 No dia  16 de fevereiro os estafetas de leitura da EB1 de Maiorca voltaram à BE-A.
 Acompanhados pelos respetivos encarregados de educação vieram o Tomás do 3º ano e o Rui Paulino do 4º ano.


 
O Duarte e  a Carmen , do 5º C, foram os anfitriões que, logo à chegada os presentearam com o crachá de boas vindas da BE-A " A BE- traz os seus utilizadores  no coração".

 
Depois foram conhecer a escola  e os  vários serviços e assistiram ao início da aula de Educação  Musical, recebidos pelos colegas do 5º C, com a execução de um trecho musical, em flauta.
 

 
 A missão que os trouxe à Escola Pintor  Mário Augusto, enquanto estafetas de leitura  acabou  por se concretizar , quando, finalmente  chegaram à biblioteca.  Os anfitriões     com a   lição     bem   estudada, desempenharam  muito bem  a sua missão. O Duarte deu uma aula  sobre o patrono   da escola, o pintor Mário Augusto, depois  explicaram como está organizado o  espaço  da biblioteca e  o sistema de arrumação; o Tomás  e o Rui ficaram  a conhecer o significado da CDU  e a da cota.











 Seguiu-se ainda um  breve momento de  leitura, com a "Lengalenga dos nomes " de Marta  Elias deu-se as boas vindas aos  visitantes. Seguiu-se a   participação  na    atividade "As palavras que falam de afetos" e também deixaram registadas no placard as suas seleções.



 
 
Depois tiveram uma pausa para recuperar energias , voltando  novamente ás atividades  ainda com mais  alento e entusiasmo.

 
 A última missão foi a mais complicada e a      decisão   foi   difícil de tomar    , a responsabilidade era acrescida, escolher um livro ao seu gosto, mas que também agradasse     aos   colegas    a     quem  iriam apresentar. No fim de uma escolha    bastante  criteriosa  acabaram por se decidir.








O Tomas por "Olá eu sou um livro de  Rui Grácio e o Rui pela "Lengalenga dos  Nomes". Os monitores voltaram a entrar em ação e a dar orientações  sobre o preenchimento da ficha de requisição.




 
 E assim,envolvidos em tantas atividades nem deram conta  que o tempo passou. Uma manhã  repleta de aprendizagens, de novas experiências e de muito convívio, que culminou da melhor maneira a oferta de um miminho- uma pendrive, oferecida pela escola.